25/9/18
 
 
Unicórnios. As startups portuguesas que chegaram aos mil milhões

Unicórnios. As startups portuguesas que chegaram aos mil milhões

Filipa Traqueia 09/06/2018 18:55

O número de unicórnios em Portugal aumentou esta semana. A OutSystems atingiu a valorização de mil milhões de dólares e agora faz parte do clube de elite das grandes startups mundiais. Não é a primeira vez que uma empresa de origem portuguesa alcança esta distinção.

Uma plataforma que permite a criação de aplicações e sites sem conhecimentos informáticos. Éesse o conceito da nova startup portuguesa que atingiu esta semana a classificação de unicórnio. AOutSystems utiliza interfaces gráficas com código informático previamente escrito para que o utilizador consiga desenhar a sua aplicação de forma simples.
Foi o investimento da Goldman Sachs e da KKR no valor de 360 milhões de dólares que deu à OutSystems o impulso final para atingir os mil milhões de dólares de valorização. Paulo Rosado, CEO da startup, explicou em comunicado que o investimento será aplicado em «trazer mais inovação aos nossos clientes, redefinindo o futuro do desenvolvimento do software empresarial».

«Estamos a combater um dos maiores problemas que as empresas enfrentam atualmente – a falta de velocidade e agilidade do desenvolvimento tradicional de software que está a dificultar as iniciativas de transformação digital em todo o mundo», disse ainda Rosado.

Com base no investimento, a empresa está atualmente a recrutar. Estão abertas 131 vagas para posições que vão desde a engenharia até ao marketing e apoio ao cliente.Apesar de a maioria ser fora de Portugal, existem 72 vagas para Lisboa, Braga e Proença-a-Nova.

A empresa criada em 2001 em Linda-a-Velha está atualmente sediada em Atlanta e é utilizada para a criação das plataformas de multinacionais como a Toyota, a Logitech e a Deloitte, entre outras. Para a KKR, estão «no início do que será um longo percurso de crescimento significativo no mercado do desenvolvimento de aplicações low-code» – o sistema utilizado para a criação de aplicações com recurso a interfaces gráficas –, explica o diretor Stephen Shanley. Também Christian Resch, da Goldman Sachs, está «ansioso» por começar a trabalhar com a empresa portuguesa. «A OutSystems está diretamente alinhada com o que procuramos para novos investimentos», disse o diretor executivo, «o apoio de fundadores excecionais e equipas de gestão em negócios inovadores que oferecem uma oportunidade significativa para criar valor a longo prazo».

Não é a primeira vez que uma startup de origem portuguesa se torna um unicórnio. A Farfetch, uma plataforma de venda de artigos de luxo, conseguiu atingir os mil milhões de euros o ano passado. «Sempre acreditámos neste potencial e a nossa estratégia está muito bem definida», disse o diretor-geral, Luís Teixeira, ao b,i.na altura. «Fomos desenvolvendo o negócio e investindo para que a nossa capacidade de inovação e operação nos colocasse nesse patamar», acrescentou. No entanto, numa entrevista mais recente ao Expresso, José Neves, CEOe fundador da empresa, afirmou que a distinção de unicórnio não acrescentou responsabilidade«nenhuma que já não»tivessem.

Para além da Farfetch e da OutSystems que conseguiram atingir o patamar de unicórnio, Portugal tem ainda uma outra startup na corrida. AFeedzai está há três anos consecutivos na lista das 50 empresas com maior probabilidade de atingir os mil milhões de dólares de valorização, elaborada anualmente pela Tech Tour Growth. Criada em 2008, a Feedzai é uma empresa de cibersegurança que se dedica a combater a fraude fiscal e financeira tem um total de capital de 82 milhões de dólares.

No entanto, desde o ano passado, Portugal perdeu mais de metade da sua participação na lista de startups promissoras e houve duas empresas portuguesas que saíram da lista: a TalkDesk e a Uniplaces. No entanto, isso não quer dizer que haja menos probabilidade de aumentar o número de unicórnios portugueses uma vez que a OutSystems, ao contrario da Feedzai, não estava na lista das 50 empresas com maior probabilidade de alcançar a distinção.

O que é um unicórnio?

A designação foi criada por Aileen Lee, fundadora da RGM Networks e da Cowboy Ventures, quando publicou, em 2013, no jornal norte-americano NewYork Times um artigo chamado «Bem-vindos ao grupo dos Unicórnios:aprender com as startups de mil milhões de dólares». O tema pegou e atualmente todas as startups que atinjam esse valor passam a ser apelidadas de unicórnios.

A utilização da criatura mítica também tem um razão:os unicórnios, tal como as startups que atingem os mil milhões de dólares de valorização, são raros.

No entanto o número de unicórnios tem vindo a crescer a nível mundial. Eapesar de não existir um número certo de quantas startups atingiram este feito, sabe-se que a lista é atualmente liderada pela empresa chinesa Ant Financial, com 70 mil milhões de dólares, seguida da Uber com 62,5 mil milhões e em terceiro lugar está a Didi Chucing, com 56 mil milhões de dólares. No top 10 da lista, que é maioritariamente ocupada por startups chinesas e norte-americanas, está ainda a plataforma de arrendamento Airbnb que vale atualmente 30 mil milhões de dólares e a rede social Snapchat com o valor de 16 mil milhões.

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×