19/9/18
 
 
Portugueses gastam mais de 200 milhões de euros por ano na alimentação dos animais

Portugueses gastam mais de 200 milhões de euros por ano na alimentação dos animais

Sónia Peres Pinto 30/01/2018 18:37

Os gastos com a alimentação dos cães atinge quase os 108 milhões de euros, enquanto os dos gatos rondam os 97 milhões.

O mercado de comida para cães e gatos não para de crescer. De acordo com o estudo da Nielsen, o mercado da comida para cão em Portugal cresceu 2% entre setembro de 2016 e o mesmo mês de 2017, para 107,7 milhões de euros, enquanto o dos alimentos para gato aumentou 7% para 97,1 milhões de euros. Feitas as contas, dá 200 milhões por ano. 
De acordo com o mesmo estudo, também foi registado um acréscimo no volume dos alimentos comercializados, tanto no caso dos cães (aumento de 1% para 86,4 milhões de quilos) como dos gatos (mais 6% para 36,2 milhões de quilos). A gestora de clientes da Nielsen, Maria Ana Góis, indica que o gasto médio no país com comida para cão é de cerca de 5,19 euros por compra, enquanto nos alimentos para gato este montante ronda os 4,40 euros.

Ainda assim, a responsável nota que “existem embalagens maiores e mais pesadas” para cão, o que “diminui a frequência de compra”, que é de dez vezes ao ano em cão e de 18 vezes por ano em gato.

A verdade é que este aumento é fácil de explicar. De acordo com o estudo da GfK, estima-se que globalmente, e em média, os gastos com os animais de estimação rondem os 12% do total do orçamento familiar dos portugueses com animais de estimação em casa, sendo a alimentação e a saúde as principais preocupações dos donos. 

Segundo a mesma análise, mais de dois milhões de lares portugueses (56%) possuem pelo menos um animal de estimação, o que reflete um crescimento de 11 pontos percentuais face a 2011.

O aumento do número de lares com animais de estimação pode explicar-se pelo facto de acompanhar as tendências demográficas e sociais: “Desde a alteração dos núcleos familiares até à evidência de que os animais de estimação contribuem para o bem-estar físico e psicológico dos seus donos, entre outros motivos”, aponta a GfK. Este contexto reflete-se nos cuidados com os animais: 74% dos donos de cães e 71% dos donos de gatos consideram que a saúde dos seus animais é muito importante. 

Estima-se que, em Portugal, existam cerca de 6,2 milhões de animais de estimação. Os cães representam 36% do total e são os favoritos dos portugueses, seguidos pelos gatos (22%), pelos pássaros (10%) e pelos peixes (4%). Os animais são considerados membros das famílias que os acolhem – 51% no caso dos cães, 48% no caso dos gatos e, de acordo com a GfK, verifica-se uma crescente ligação emocional e afetiva que leva a um tratamento mais humanizado dos animais de estimação. 

O estudo inclui ainda os dados de penetração de animais de estimação em 23 países. Neste ranking, Portugal está em linha com a média global (57%), mas ocupa a 14.a posição da lista liderada pela Argentina, pelo México e pelo Brasil. As últimas três posições são ocupadas por países asiáticos: Japão, Hong Kong e Coreia.

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×