25/9/17
 
 
Mais de 100 mil alunos das escolas públicas de Nova Iorque não têm casa

Mais de 100 mil alunos das escolas públicas de Nova Iorque não têm casa

Magalhães Afonso 18/08/2017 22:45

Número subiu 50% em seis anos. Se a tendência se mantiver, um em cada sete estudantes viverá na rua pelo menos uma vez até ao 5.º ano

Mais de 100 mil alunos do sistema de ensino público de Nova Iorque, EUA, foram sem-abrigo durante o último ano letivo. O número corresponde a um aumento de 20% em relação ao ano escolar anterior e a uma subida de 49% quando comparado com 2010-2011.

Segundo um estudo do Instituto para a Infância, Pobreza e Sem-Abrigo (ICPH na sigla inglesa), se a tendência não se alterar, mais de um em cada sete estudantes do ensino público da maior cidade norte-americana passarão, até chegar ao 5.o ano de escolaridade, pelo menos uma vez por ser sem-abrigo.

O documento do ICPH, revelado ontem, tem como foco o grupo de alunos inscritos durante os seis anos do ensino primário que terminaram no ano letivo de 2015-2016.

Instabilidade

Os académicos investigaram os efeitos da instabilidade residencial no comportamento dos estudantes na sala de aula e concluíram que “durante o ensino primário, o estudante sem-abrigo viveu em pelo menos duas situações de abrigo diferentes, foi transferido de escola a meio de um ano letivo duas vezes e faltou 88 dias à escola – quase metade do ano escolar”.

Para além disso, comparando com um aluno normal, um aluno sem-abrigo “tem o dobro da propensão para ser suspenso ou chumbar” e “metade da capacidade de assimilação e compreensão da matemática, língua inglesa e artes correspondente ao 5.o ano de escolaridade”.

Abrigos temporários

De acordo com o ICPH, um aluno sem--abrigo não é apenas aquele que vive nos abrigos de emergência disponibilizados pela cidade. Para além destes, são também considerados sem-abrigo os alunos que ficam em casa de família ou de amigos – os chamados “doubled up” –, os que vivem em hotéis ou motéis e os que dormem em espaços inapropriados para a habitação humana, como por exemplo em carros, na rua ou em edifícios abandonados.

Os autores do estudo apontam que a falta de abrigos familiares temporários leva a que haja cada vez mais alunos doubled up. Para cada aluno sem-abrigo que vive num abrigo temporário há aproximadamente dois noutros locais.

O crescimento de estudantes sem-abrigo é desproporcional à capacidade que as autoridades da cidade têm de dar abrigos temporários. Os autores do estudo defendem que assegurar a educação destes alunos é vital para o futuro de Nova Iorque.

 

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

Não tem utilizador? Clique aqui para registar

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×