21/7/19
 
 
PSD. Marco António Costa afasta-se de Pedro Passos Coelho

PSD. Marco António Costa afasta-se de Pedro Passos Coelho

Diana Tinoco Sebastião Bugalho 23/11/2016 12:22

Homem forte do PSD no Norte não foi à reunião de Passos Coelho com a distrital do Porto. Marco António estava na região e a estrutura estranhou

Marco António Costa não esteve presente na reunião que recebeu Pedro Passos Coelho na distrital do Porto, este fim de semana. Fonte próxima do vice-presidente do Partido Social Democrata lembra que Marco António “não é membro da comissão do partido para as autárquicas, por isso não tinha de estar”.

Mas, ao que o i apurou, as bases ficaram surpreendidas por verem Passos Coelho na distrital sem Marco António Costa a seu lado.

“Então o homem vai a uma coisa de um núcleo de estudantes em Coimbra e no dia seguinte não está numa reunião da distrital com o líder de partido? É impossível achar que é normal”, afirma fonte partidária do Porto sobre as atividades deste fim de semana. O facto de a recentemente eleita líder da JSD/Porto, Sofia Matos, estar presente também faria prever que “Marco António não faltaria”, acrescenta a fonte.

Condeixa O certo é que, horas depois da dita reunião, realizada ao final da manhã na Invicta, Marco António Costa esteve num almoço da juventude partidária dos sociais-democratas, em Condeixa.

Aí, coincidentemente, também almoçou Pedro Rodrigues, líder do movimento Portugal Não Pode Esperar, uma plataforma alternativa à atual linha da direção de Passos Coelho.

As aparições de Marco António Costa, como noticiava o semanário “SOL” deste fim de semana, têm estado mais dedicadas a iniciativas da Juventude Social Democrata do que a eventos do PSD. O nortenho continua a fazer discursos a favor de Passos Coelho – “afinal, é um dos membros mais importantes da sua comissão permanente”, lembra um militante –, mas o afastamento de Marco António desde o último congresso é evidente. Aparentemente, por opção própria.

“Ele gosta de ter a rédea solta. Anda assim desde o congresso de Espinho. Quanto menos colado à direção de Passos ele estiver, mais determinante pode ser para o próximo congresso”, explica um membro do conselho nacional do partido. “Da última vez que vi, quem quis ser presidente do partido precisava de falar com Marco António Costa. Acho que nisso não mudou e ele, nesta posição, fica como um fiel de balança.”

No entanto, a mesma fonte aponta que a influência do dirigente no Norte já não é exatamente a mesma. “Tem menos poder porque perdeu câmaras que tinham muita importância para a máquina, como Porto e Gaia”, clarifica. “É óbvio que seria sempre um excelente candidato para qualquer autarquia da distrital do Porto, mas ainda falta algum tempo”, conclui.

Distantes O i sabe, todavia, que a estratégia de distanciamento pode não ser somente de interesse tático de Marco António Costa.

Dias antes do primeiro conselho nacional depois de Passos Coelho ser reeleito presidente do PSD em Espinho, Marco António apadrinhou uma série de reuniões com as distritais de Braga, Porto e Aveiro em que também esteve o eurodeputado Paulo Rangel. “Isso foi um primeiro sinal de distanciamento e Passos não gostou nada”, revela ao i fonte da região.

 

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×