22/9/18
 
 
O havaiano que tocou o céu em Peniche

O havaiano que tocou o céu em Peniche

AFP Laura Ramires 29/10/2016 18:49

Aos 24 anos John John Florence tornou-se campeão mundial na praia dos supertubos, em Peniche. É a primeira vez que o título mundial de surf é conquistado numa etapa portuguesa.

John John Florence conseguiu o que não julgava possível: sagrar-se campeão mundial em Peniche, antes da última etapa do circuito – que por sinal será no Havai, em dezembro.

Por isso, o regresso de John John a ‘casa’ já será  como campeão do mundo de surf, o que permite ao havaiano usufruir da etapa – que confessou ser a sua favorita – sem qualquer pressão.

Voltando ao areal dos supertubos, Florence, que venceu o MEO Rip Curl Pro Portugal, abriu o champanhe ainda antes do embate com Conner Coffin, na grande final. Tudo porque beneficiou da eliminação do sul-africano Jordy Smith nas meias-finais da etapa portuguesa do circuito mundial.

Contra Conner, o espetáculo estava garantido: velocidade e aéreos com pontuações a rondar os 10 pontos  (máximo possível) e a festa de Florence ficou fechada  em Peniche. 

John John Florence conquistou o primeiro título mundial da sua carreira e é o sucessor do surfista brasileiro Adriano de Souza.

A história do surf passou a contar agora com mais um havaiano, o quarto, a conquistar o título mundial, depois de Derek Ho (1993), Sunny Garcia (2000) e o tricampeão Andy Irons (2002, 2003, 2004), que morreu em 2010 vítima de ataque cardíaco.

‘Desde pequeno que sonho com isto’

Emocionado e «chocado», Florence saiu da água com uma certeza: tinha conseguido o título com o qual sonhou «desde pequeno, quando via Kelly e Andy» – apesar de nunca ter pensado que o conseguiria em águas lusas. «Ainda nem acredito, pois pensava que ia decidir isto no Havai, mas acabou por ser uma surpresa e conquistar o título aqui  é maravilhoso», confidenciou Florence, quase incrédulo por ser considerado o ‘melhor surfista do mundo’.

Um ídolo na ‘bancada’

Kelly Slater, onze vezes campeão do mundo, tomou uma opção que não é frequente em si: permaneceu em Portugal, até ao fim da competição, para assistir à coroação de John John. No fim, partilhou uma fotografia nas redes sociais com o havaiano, felicitando-o pelo «feito inevitável». Mais uma surpresa para Florence, que não sabia da presença do ‘ídolo’ de infância. «É fantástico ter o apoio do Kelly Slater,  ele tem sido o melhor surfista do mundo desde que eu nasci, tê-lo aqui e receber os elogios dele foi muito bom», disse o rei do surf, que segue para a sua onda preferida com a consciência de que o mais difícil depois de chegar ao topo é «aguentar lá».

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×