17/11/17
 
 
Presidente da Caixa Geral de Depósitos pode ficar a ganhar mais de 46 mil euros por mês
António Domingues foi administrador do BPI

Presidente da Caixa Geral de Depósitos pode ficar a ganhar mais de 46 mil euros por mês

António Domingues foi administrador do BPI José Sérgio João Madeira 09/06/2016 14:32

Fim de tectos salariais permite que António Domingues ganhe mais do que no BPI, onde auferia 46 mil euros por mês.

O Conselho de Ministros aprovou ontem o diploma que elimina os tectos salariais da nova equipa de gestão da Caixa Geral de Depósitos, liderada por António Domingues. A decisão foi tomada no Conselho de Ministros e, na prática, permite que o novo presidente do banco público ganhe mais do que auferia no BPI, de onde transita. Nos últimos três anos, António Domingues ganhou uma média de 46 mil euros por mês.

Nos últimos anos, a CGD esteve condicionada nos salários a pagar aos gestores. Primeiro entrou em vigor uma regra que impedia a administração de receber mais do que o primeiro-ministro e posteriormente foi introduzida uma exceção que permitia contornar aquela norma, em que os gestores podiam optar por uma remuneração igual à média dos três anos anteriores.

Ontem, foi aprovado o fim deste tecto para o caso da CGD. “A proposta vem determinar a não aplicação do regime previsto naquele estatuto aos administradores designados para instituições de crédito integradas no Setor Empresarial do Estado, qualificadas como ‘entidades supervisionadas significativas’, nos termos da regulamentação do Banco Central Europeu”, revela o comunicado do Conselho de Ministros.

Com a alteração aprovada hoje, o limite que estava em vigor deixa de existir, em linha com as orientações do BCE, que considera esta limitação uma ineficiência do modelo ao de governação da CGD. Como a nova administração pode ir para o banco público receber mais do que a média dos últmos anos, terá mais capacidade de atrair quadros do sistema bancário.

Com esta alteração remuneratória, a despesa com órgãos sociais no banco vai aumentar. De acordo com os vencimentos declarados nos últimos anos como vice-presidente do BPI, António Domingues ganhou uma média de 46 mil euros por mês nos últimos três anos - assumindo uma repartição por 14 meses das remunerações fixas e variáveis totais inscritas nos relatórios anuais do BPI.

Face ao presidente atual da Caixa, o salário mais alto do grupo pode mais do que triplicar. José de Matos, o gestor em fim de mandato, aufere cerca de 16.500 euros por mês, sem direito a prémios.

Ao salário de António Domingues há que somar os de outros administradores. Segundo avançou na última sexta-feira o “Jornal de Negócios”, a nova equipa de gestão da Caixa vai ter 19 pessoas. Além de António Domingues como presidente, a CGD terá dois vice-presidentes. Um será Leonor Beleza, presidente da fundação Champalimaud, que não vai receber remumeração na Caixa. O outro é Rui Vilar, membro do Conselho Consultivo do Banco de Portugal e ex-presidente da REN e da Fundação Calouste Gulbenkian.

Haverá depois seis administradores executivos, um dos Emídio Pinheiro, que transita do BPI com António Domingues. Existem depois 12 administradores não executivos, entre os quais Pedro Norton, que saiu da Impresa, e Bernardo Trindade, antigo secretário de Estado do Turismo de José Sócrates. J.M.

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

Não tem utilizador? Clique aqui para registar

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×