25/9/21
 
 
Tabelas de retenção. Saiba quanto vai receber no final do mês

Tabelas de retenção. Saiba quanto vai receber no final do mês

Sofia Martins Santos 08/05/2016 20:59

O governo publicou este fim de semana as novas tabelas de retenção na fonte de IRS de 2016, que se aplicam aos salários pagos já este mês.

De acordo estas tabelas, que se encontram publicadas no Portal das Finanças, e não considerando a aplicação das tabelas relativas à sobretaxsados sema de IRS, tanto os solteiros como os ca filhos, com salários até 3 mil euros, vão manter a retenção na fonte que faziam em 2015.

Mas para quem tem filhos, a partir dos 1.211 de salário mensal, as taxas aumentam este ano face ao que era descontado mensalmente durante o ano passado.

Por exemplo, um solteiro sem filhos, que receba 800 euros, terá uma retenção na fonte de 68 euros, o mesmo que no ano passado. No entanto, se auferir 800 euros e tiver um filho, fará este mês uma retenção na fonte inferior em oito euros. O mesmo acontece para um casal (dois titulares) com um filho.

Mas para casais que tenham um filho e, se cada titular auferir 1.500, a retenção passará a ser de 265,5 euros já a partir deste mês, ou seja, mais 1,5 euros do que no ano passado.

Já para os salários brutos superiores, a retenção na fonte vai aumentar. Por exemplo, no patamar salarial de 3 mil euros por mês, o casal apenas faz a mesma retenção na fonte se não tiver filhos. Se tiver, por exemplo um filho, a retenção na fonte será de 840 euros, mais nove euros do que em 2015.

Salários até 610 euros Para os casados, as novas taxas de retenção na fonte começam a partir dos 610 euros se não tiverem filhos. Em 2015, as retenções começavam aos 607 euros para quem não tivesse filhos. Já no caso das famílias que tenham filhos e rendimentos mensais abaixo dos 610 euros vai haver um alívio com as novas tabelas.

Recorde-se que em 2015, com a reforma do IRS, foi criado um regime em que os filhos passaram a contar no apuramento do rendimento sujeito a imposto. Passou-se a aplicar-se o quociente familiar, em que o rendimento era dividido pelo número de membros do agregado familiar. Mas o modelo foi fortemente criticado pelo PS, que decidiu agora eliminar este quociente familiar e substituí--lo por uma dedução fixa de 600 euros por cada filho.

De acordo com as estimativas do Ministério das Finanças, este novo regime deverá beneficiar cerca de 950 mil famílias.

Duas tabelas de retenção Estas novas tabelas de retenção na fonte juntam-se agora às tabelas relativas à sobretaxa, que foram publicadas no início deste ano. Ou seja, a partir de agora, as entidades patronais passam a precisar de duas tabelas para apurar a retenção mensal.

De acordo com o Ministério das Finanças, as tabelas relativas à sobretaxa já representavam “uma redução da retenção na fonte deste tipo de rendimentos em relação ao ano de 2015”.

Contas feitas, no início do ano já se sabia que quem ganhasse 1500 euros por mês iria pagar menos 16 euros de sobretaxa de IRS. Já se recebesse 4 mil euros, iria pagar menos 36 euros mensais - isto no cenário de casado (um titular). Os solteiros, no primeiro caso, passaram a pagar menos 14,06 euros e, no segundo, menos 9,93 euros. Estas tabelas mostravam ainda que os agregados com dois titulares (casados ou não casados) com rendimentos mensais até 2 mil euros pagariam menos 51,55% de sobretaxa. Já os que auferissem rendimentos abaixo desse valor teriam uma redução maior.

 

 

 

 

 

 

Ler Mais


×

Pesquise no i

×