12/8/20
 
 
Brasil. Sondagem: só a classe alta saiu à rua contra Dilma

Brasil. Sondagem: só a classe alta saiu à rua contra Dilma

DR Jornal i 15/03/2016 08:48

O número de manifestantes anti-Dilma cresce, mas continuam a ser a elite

Houve duas imagens que correram o mundo das manifestações de domingo contra o governo do PT, a presidente Dilma e Lula: a multidão a encher o Calçadão no Rio de Janeiro e um casal de ricos a ir para os protestos acompanhado pelos filhos num carrinho de bebé, empurrado por uma criada. As duas imagens espelham o protesto, a fazer fé numa sondagem realizada durante a manifestação e publicada ontem na “Folha de São Paulo”.

O diário brasileiro garante que estiveram na rua mais de 500 mil pessoas em São Paulo, o dobro que nos protestos do ano anterior, mas que o perfil da esmagadora maioria dos manifestantes continua a ser demasiado alto em relação à totalidade da população brasileira. Segundo os dados recolhidos pela Datafolha, a maioria dos participantes nos protestos na Avenida Paulista, em São Paulo, eram homens com idade superior a 36 anos, e 77% deles afirmaram ter um curso superior, quando, nesse mesmo município, apenas 28% das pessoas têm esse grau de ensino.

Ao serem inquiridos sobre a sua profissão, 12% dos manifestantes garantiram ser empresários, ocupação que é apenas compartilhada por 2% da população em geral. Metade dos manifestantes confessou ganhar entre cinco e 25 salários mínimos. Segundo uma anedota, o Brasil devia-se chamar “Belíndia”, porque dez milhões têm o nível de vida da Bélgica, e o resto da Índia. No domingo, saíram os belgas.

Ler Mais

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×