19/9/18
 
 
Miguel Oliveira. A vitória mais amarga da época
Miguel Oliveira nunca tinha vencido uma prova do Mundial até este ano. Sai com seis triunfos

Miguel Oliveira. A vitória mais amarga da época

Miguel Oliveira nunca tinha vencido uma prova do Mundial até este ano. Sai com seis triunfos Alberto Saiz/ap Rui Pedro Silva 09/11/2015 15:12

Português somou terceiro triunfo seguido – e o sexto da temporada – mas falhou título por seis pontos. Danny Kent foi cauteloso e saiu a celebrar.

Miguel Oliveira é o primeiro piloto de Moto3 a vencer três corridas consecutivas desde... Danny Kent no início de 2015 – entre a segunda e a quarta corrida. Miguel Oliveira é o primeiro a conseguir seis pódios consecutivos emMoto3 desde Maverick Viñales em 2013. Miguel Oliveira é o primeiro piloto a vencer quatro vezes num espaço de cinco corridas desde... Maverick Viñales em 2012.

A recta final do piloto português no ano de despedida da categoria foi impressionante mas terminou com um sabor amargo porque o título fugiu por seis pontos. A contabilidade para o Grande Prémio da Comunidade Valenciana anunciava desde logo uma tarefa improvável mas não impossível. O português da KTM era o piloto em melhor forma e estava obrigado a vencer emEspanha, esperando que Danny Kent não fizesse mais do que um ponto. Ou seja, se o britânico terminasse em 14.o não haveria nada que pudesse ser feito.

“O Danny tinha a vantagem do lado dele com 24 pontos de avanço. Mas eu fiz aquilo que tinha de fazer realmente: ganhar a corrida”, afirmou Miguel Oliveira no final da prova. E foi isso que tinha acabado de demonstrar em pista – a preocupação em fazer a sua parte. Com o quarto melhor tempo da qualificação, o português fez a primeira curva na liderança e aumentou a pressão para o rival de 2015 e futuro colega em 2016 na Moto2. Danny Kent saiu do 18.o posto e fez uma corrida muito semelhante à de Sepang, na Malásia. 

Com a vantagem do seu lado, nunca arriscou. Tirando o início da volta inaugural, o título esteve sempre matematicamente garantido mas ainda foi obrigado a passar por um susto quando o japonês Hiroki Ono, um colega de equipa, se mostrou demasiado atrevido na luta por uma posição. A margem de conforto de Kent era grande mas não desarmou, aceitando o desafio e deixando a comitiva nas boxes à beira de um ataque de nervos.

Na frente, Miguel Oliveira foi pressionado por vários adversários mas voltou a fazer a diferença no final, aproveitando também o acidente nas últimas curvas iniciado por Niccolò Antonelli, que deixou Romano Fenati e Efrén Vázquez fora de pista. Jorge Navarro manteve a segunda posição e o checo Jakub Kornfeil foi o grande beneficiado, passando da sexta posição para o último lugar do pódio. Se dúvidas houvesse, o acidente fez com que Danny Kent conseguisse mais três pontos na corrida – passou de 12.o para nono e terminou a temporada com seis de vantagem sobre o segundo classificado.

Os 140 pontos alcançados nas últimas seis corridas da temporada fizeram Miguel Oliveira acreditar no título e, apesar do sabor amargo do final, o balanço é positivo: “Deixa-me muito feliz por ter tantos triunfos esta temporada. A KTM nunca desistiu, trouxe-me uma moto vencedora e estou muito grato por isso. É bom sair como uma referência da categoria. Dá-me muita confiança para os novos desafios que avizinham. Não poderia haver melhor forma de terminar o campeonato.”

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×