15/8/20
 
 
Sócrates processa semanário "Sol"

Sócrates processa semanário "Sol"

Sara Matos Jornal i 30/10/2015 19:47

Defesa de ex-primeiro-ministro fala em "difamação" e "calúnia". Semanário revelou mais detalhes sobre a "Operação Marquês" na edição desta semana.

Em comunicado enviado às redacções, os advogados de José Sócrates deram esta tarde conta de que vao processar o semanário "Sol". João Araújo e Pedro Delille consideram que as notícias publicadas esta sexta-feira "ofendem de forma grave a honra e consideração do senhor engenheiro José Sócrates" e vão, por isso, agir contra o jornal, por "difamação" e "calúnia".

O "Sol" escreve em manchete que "os crimes [alegadamente praticas pelo ex-primeiro-ministro] conitnuaram com Sócrates preso". Em causa está, entre outras questões, a "ginástica financeira" que a ex-mulher do ex-primeiro-ministro tem feito para cumprir o pagamento mensal das prestações pelo monte que comprou no Alentejo (e que a investigação acredita pertencer a José Sócrates).

Sofia Fava dispende quatro mil euros por mês e esse fardo levou, escreve o jornal, a que Sócrates tivesse renegociado um empréstimo bancário na Caixa Geral de Depósitos e, com isso, tivesse entregado 100 mil euros à ex-mulher, ajudando-a a suprir esses pagamentos.

No entanto, os advogados consideram que estes dados, como outros entretanto revelados sobre este processo "revelam também, é importante notar, que toda esta investigação e toda a imputação de crimes que nela é feita ao nosso constituinte não passa de isso mesmo: de devassa e de mentiras".

Esta é a segunda medida judicial que a defesa do ex-primeiro-ministro toma contra os meios de comunicação social que têm acompanhado o processo. Ainda esta semana, o grupo Cofina foi notificado de uma providência cautelar interposta por Araujo e Delille que, na prática, impede todas as publicações do grupo de publicar notícias sobre o processo em que o ex-primeiro-ministro é o principal arguido.

A esse respeito, a presidente do Tribunal Judicial da comarca de Lisboa esclareceu hoje, também em comunicado, que a providência cautelar "não proíbe a publicação de notícias sobre José Sócrates Carvalho Pinto de Sousa ou sobre o processo conhecido como Operação Marquês, mas apenas sobre elementos deste processo cobertos pelo segredo de justiça". Também "não proíbe qualquer investigação jornalística ou a publicação de notícias sobre investigações
jornalísticas anteriores, presentes ou futuras sobre o mesmo caso ou sobre os arguidos", acrescenta a juíza Amélia Correia de Almeida.

Ler Mais

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×