17/10/17
 
 
Socialistas pedem demissão do director de informação da RTP
Ascenso Simões escreveu uma carta dirigida ao presidente e ao director de informação da RTP a protestar e a exigir “uma atitude”

Socialistas pedem demissão do director de informação da RTP

Ascenso Simões escreveu uma carta dirigida ao presidente e ao director de informação da RTP a protestar e a exigir “uma atitude” Luís Claro 13/09/2015 20:49

"A RTP é prostituída e o director de informação vai continuar em funções?", questiona Isabel Moreira. Prós e Contras debate hoje à noite investigação a José Sócrates.

"Alguém acredita que se o Partido Socialista estivesse no governo haveria um primeiro-ministro sob investigação?”. A pergunta foi feita por Paulo Rangel, na Universidade de Verão do PSD, e vai servir para lançar o debate do programa Prós e Contra nesta segunda-feira.

A ideia é debater se há interferência dos partidos no sistema judicial, mas os socialistas acusam a RTP de falta de isenção por alimentar esta polémica em plena pré-campanha. "O director de informação da RTP, Paulo Dentinho, só tem uma alternativa: demitir-se", defende João Galamba, da direcção nacional do PS. No mesmo sentido, Isabel Moreira defende que o responsável pela informação não tem condições para continuar em funções. "A RTP é prostituída disfarçando um ataque parcial a uma campanha eleitoral que se quer isenta e o director de informação vai continuar em funções?", questiona a deputada socialista. 

Ascenso Simões, cabeça-de-lista do PS por Vila Real e ex-director de campanha, escreveu uma carta dirigida ao presidente e ao director de informação da RTP a exigir “uma atitude” dos responsáveis do canal público. “Se ela não existir, através da reformulação do debate, mais não posso que considerar que a RTP fez uma opção partidária, que nestas eleições optou por atacar o PS, maltratar os seus militantes e provocar os seus votantes”.

Edite Estrela junta-se aos protestos e considera que o debate anunciado pela televisão pública só pode ser uma “piada de mau gosto”. A dirigente socialista questiona mesmo se o Presidente da República "nada tem a dizer" sobre este caso. E Francisco Seixas da Costa classifica o programa desta noite como "um óbvio frete político (...) contra o maior partido da oposição".

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

Não tem utilizador? Clique aqui para registar

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×