23/5/19
 
 
Instituto Superior Técnico. 12 mil com Fnac à porta
Fnac mais pequena do mundo também vai servir população da zona

Instituto Superior Técnico. 12 mil com Fnac à porta

Fnac mais pequena do mundo também vai servir população da zona helena poncini Margarida Bon de Sousa 11/09/2015 11:18

Desafio veio da própria universidade, que convenceu a multinacional a abrir a loja mais pequena do mundo.

O Instituto Superior Técnico desafiou a Fnac a abrir um posto de venda dentro do seu campus, naquela que vai ser a loja mais pequena do mundo, com apenas 64 metros quadrados. Os destinatários são os 12 mil estudantes da universidade, mas também docentes, pessoal administrativo e população em geral. A inauguração é já na segunda-feira, naquela que é a primeira experiência deste tipo em Portugal. 

O novo estabelecimento terá também um formato diferente,  adaptado às necessidades dos estudantes e professores, marcando a primeira aproximação da FNAC a este público alvo. 

Em termos de oferta, a empresa vai apostar nos livros técnicos, em revistas, em papelaria e em acessórios e gadgets de tecnologia. Vai ainda ter um corner Nespresso, um serviço de bilheteira e a possibilidade de encomendar produtos que, se estiverem disponíveis na FNAC Colombo (loja-mãe) e forem encomendados até ao meio-dia, podem ser entregues no próprio dia. No dia da abertura haverá um desconto de 15% para todos os titulares do cartão FNAC.

“A instalação da empresa insere-se na estratégia de requalificação do campus da Alameda”, disse ao i João Gomes Ferreira, da direção do IST. “Queremos servir melhor os alunos, os docentes, os investigadores, funcionários técnicos e administrativos, mas também as pessoas que moram ou trabalham nesta zona da cidade”. 

A iniciativa insere-se no plano estratégico do Técnico, “A school for the world”, que tem como objectivo promover uma escola cada vez mais aberta à sociedade, promovendo a cultura,  para além das áreas de engenharia, ciência, tecnologia e arquitetura.

“A FNAC torna-se assim parceiro cultural do Técnico”, diz também João Gomes Ferreira. “A parceria é muito abrangente e envolve, além da exploração do espaço comercial, a realização de inúmeras outras atividades culturais, tais como o lançamento de livros, feiras de tecnologia, exposições fotográficas, de pintura e outras”.
   
Conceito nasce em 54 Dois amigos, André Essel e Max Théret, decidem fundar uma cooperativa de compradores (a Féderation Nationale d Achat des Cadres). Os sócios conseguem acordos com o comércio especializado, de maneira a terem preços 10 a 20% inferiores aos praticados no mercado. Mais de 50 lojas aderem ao conceito mas os sócios vão mais longe, apostando numa loja de fotografia devido à sua paixão por esta área de actividade.

No mesmo ano, os dois fundadores dedicam uma parte do estabelecimento a material fotográfico e de cinema, e  transformam-na em Clube Foto-Cine. As encomendas beneficiam de 15% e o elo de ligação dos associados com a Fnac passa pela publicação de uma revista de informação criada pelo próprio  Essel e Théret, denominada “Contact”.

Em 1957, os dois sócios abrem a primeira loja Fnac no número 6 do Boulevard Sebastopol, em Paris, que comercializa produtos de fotografia e som.

Mas serão precisos ainda 42 anos para que, em Fevereiro de 1999, a multinacional abra o seu primeira estabelecimento em Portugal, no Centro Comercial Colombo, numa superfície de dois mil metros quadrados. 

Em Novembro do mesmo ano, a Fnac abre outra loja, desta vez no Norte Shopping, tendo hoje um total de 22 pontos de venda em Portugal, distribuídos de  norte a sul do país. OTécnico será o 23º, mas em moldes totalmente diferentes.   

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×