23/9/18
 
 
Lando. Da Cidade das Nuvens para as páginas da Marvel
Ninguém se atreve a mudar-lhe a imagem. Seria uma espécie de sacrilégio

Lando. Da Cidade das Nuvens para as páginas da Marvel

Ninguém se atreve a mudar-lhe a imagem. Seria uma espécie de sacrilégio D.R. Tiago Pereira 03/08/2015 21:57

Personagem secundária (mas importante) do universo Star Wars, o senhor Calrissian está de regresso.

Uma das personagens que adoramos odiar e sem a qual não sabemos viver – tendo em conta toda a história que aconteceu há muito muito tempo numa terra longínqua. Lando Calrissian, o tipo que entrega Han Solo a Darth Vader (mas como é que ele foi capaz, como?) e que depois o salva e ajuda à destruição final da Estrela da Morte (boa, Lando, és quase o maior). O que mais intriga no meio de tudo isto é como sabemos tão pouco sobre uma das mais adoradas das personagens secundárias do universo Star Wars. A Marvel junta-se a outros que já se debruçaram sobre o tema (como a série sci-fi “The Adventures of Lando Calrissian”, com livros publicados entre 1983 e 84): está já disponível o primeiro número de uma série de banda desenhada dedicada ao homem. O título é “Lando”, e chega.

Quando aparece pela primeira vez, em “O Império Contra-Ataca”, descobrimos rapidamente que Lando conhece Han Solo há muito tempo, que na verdade era ele o proprietário do Millenium Falcon (Solo ganhou-lhe a nave numa aposta) e que terá um passado que envolve operações comerciais pouco legítimas. Isso e que é uma espécie de Curtis Mayfield do espaço, superfly na Cidade das Nuvens, um povoado que flutua num planeta sem chão. Só pinta. Mas e depois? Depois nada. O homem faz um pacto com o Império: ele oferece os rebeldes e os ditadores não se metem nos negócios de Calrissian. Mas depois Lando arrepende-se e decide inscrever-se no grupo dos jedis e companhia.

Lando & Lobot Para este novo título da Marvel, dedicado a mais uma personagem da “Guerra das Estrelas”, o principal objectivo é mostrar com mais detalhe aquilo que já sabíamos, mas pouco. Para isso, os autores – Charles Soule e Alex Maleev (gente que já trabalhou personagens como Wolverine ou Daredevil – apostam na classe de Lando enquanto mafioso honesto, aldrabão justo e outras duplicidades do género. O homem faz o que tem a fazer mas tenta sempre que ninguém sofra indevidamente com as suas negociatas. Pelo meio continua a ser o maior artista vivo a dominar o sabacc (jogo de cartas com regras disponíveis na internet: estão mesmo) e preza bastante a companhia do cyborg Lobot, um génio meio máquina meio homem que ajuda Lando em tudo e mais alguma coisa.

Ao site Cimic Book Resources, Charles Soule explicou recentemente o fascínio dos autores de “Lando” com a personagem: “Ele não é um caçador de recompensas, não é um rebelde, não é um jedi. Não é nada disso, é apenas um tipo que procura viver a sua vida e gozar ao máximo, tudo o que puder.” Na mesma entrevista, Soule não revela muito sobre a história que elaborou em conjunto com Alex Maleev, até porque isso iria estragar a surpresa dos próximos títulos.

Ainda assim assegurou que esta aventura envolve “o roubo de uma grande nave”. Claro que não é muito, bem sabemos, mas “Lando #1” já está nas lojas. Não se pode pedir muito mais.

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×