26/9/18
 
 
Os maus-tratos provados proferidos pela professora condenada em Sintra

Os maus-tratos provados proferidos pela professora condenada em Sintra

Rosa Ramos 16/07/2015 15:10

Aluno DS
•  “A arguida desferiu-lhe uma pancada na cabeça usando o livro de ponto.”

Aluna MT 
•  “A primeira vez [que agrediu a criança] desferiu-lhe uma chapada na face. Na segunda vez, deu-lhe uma pancada na cabeça usando o livro de ponto. Na terceira vez, deu-lhe uma pancada na cabeça com um pau de vassoura que costumava usar na sala de aula. Na quarta vez, deu-lhe uma pancada na cabeça usando um livro de histórias. Finalmente, na quinta ocasião, empurrou a menor contra o quadro por não saber resolver as contas. Além disso, a arguida apelidava a menor de ‘almôndega’.” 

Aluno JS
•  “Desferiu-lhe uma pancada no rabo com um pau de vassoura que mantinha no interior da sala de aula. Além disso, em número de vezes superior a três, a arguida deu pancadas na cabeça do menor com os nós dos dedos das mãos, e desferiu-lhe golpes na cabeça com um livro. A arguida agia deste modo quando o menor se portava mal ou quando não conseguia ler os textos que lhe apresentava para leitura.”

Aluna ST
•  “Numa ocasião deu-lhe uma chapada na face. Numa outra, deu-lhe uma pancada com a mão no braço esquerdo. Em diversas ocasiões, superiores a duas, desferiu-lhe pancadas na cabeça usando o livro de ponto.”

Aluna BP
•  “Desferiu-lhe pancadas na cabeça usando o livro de ponto.” 

Aluna NB
•  “Desferiu-lhe uma chapada na face.”

Aluno AJ
•  “Desferiu golpes no menor, usando ora um livro ora o pau de vassoura que mantinha na sala de aula, ora a sua própria mão. Numa dessas ocasiões, após desferir um golpe com o pau na mão do menor, a arguida viu-se forçada a aplicar pomada na região atingida para disfarçar a marca causada na pele. Noutra ocasião, desferiu um golpe com esse pau no rabo do menor. Além disso, apelidava o aluno de ‘formiga’. Em diversas ocasiões, depois de sofrer golpes físicos, o menor chegou a chorar. Apesar de sofrer de um linfagioma da face, a arguida não se coibiu de lhe desferiu pancadas na cabeça usando o livro de ponto.”

Aluno ES
•  “Desferiu chapadas na cara e ainda pancadas na cabeça usando os nós dos dedos. Além disso, em vez superiores a cinco, a arguida desferiu golpes na cabeça deste menor usando o livro de ponto. Por o menor não saber fazer uma ficha, a arguida ordenou-lhe que se levantasse e, em seguida, desferiu uma pancada no rabo com o pau de vassoura. Noutra ocasião, irritada com o menor, atirou um estojo na sua direcção.”

Aluna DR
•  “A arguida ordenou-lhe que se levantasse e fosse ao quadro fazer um exercício. Como a menor tivesse errado esse exercício, desferiu-lhe uma bofetada na cara, fazendo a mesma chorar em frente a toda a turma. Além disso, em número de vezes superior a três, desferiu pancadas na cabeça da aluna usando quer o livro de ponto, quer outros livros que ali estavam.”

Aluno FI
•  “A arguida desferiu golpes na cabeça do aluno usando para o efeito o livro de ponto quando o mesmo, no quadro, não sabia resolver exercícios, provocando-lhe o choro em frente a toda a turma. Noutras ocasiões, desferiu-lhe pancadas no corpo com o pau de vassoura, chegando a atingi-lo na cabeça em algumas dessas ocasiões. Ainda noutras ocasiões, a arguida desferiu chapadas na face do menor. Numa ocasião, a arguida atirou uma cadeira para o ar para amedrontar os alunos, vindo a acertar no menor na zona da cabeça.”

Aluna AM
•  “A arguida desferiu um golpe na cabeça desta sua aluna usando para o efeito a vassoura que mantinha na sala de aula. Noutra ocasião, reparando que a menor usava uma bandelete, perguntou à criança se ela achava que era uma princesa, apelidando-a logo de seguida de ‘arrogante’.” 

Aluna DS
•  “A arguida desferiu uma chapada na cara da menor como forma de a castigar.”

Aluna BG
•  “A arguida desferiu um golpe no corpo da aluna usando para o efeito o livro de ponto, fazendo-o pelo facto de a mesma não saber ler o texto que queria que ela lesse.” 

Aluna LS
•  “Em duas ocasiões, por a menor não saber contar, desferiu-lhe chapadas na cara. Noutra ocasião, desferiu-lhe um golpe na cabeça com o livro de ponto. A menor chorou. Pelo menos em duas ocasiões, apelidou-a de ‘burra’ por não saber fazer os exercícios.”

Aluno HS
•  “Desferiu-lhe bofetadas, palmadas no rabo como cabo da vassoura e golpes na cabeça com o livro de ponto. Algumas destas condutas foram praticadas quando o menor estava no quadro a tentar resolver problemas. Quando não sabia resolvê-los, desferia-lhe um golpe com o livro de ponto na cabeça levando a que o menor batesse com a cabeça no quadro. Numa das ocasiões, quando o menor estava no quadro, desferiu-lhe um golpe com um livro de ponto na cara que originou uma pequena hemorragia nasal.”

Aluno GR
•  “Desferiu-lhe bofetadas na face, golpes com o livro de ponto e açoites com o pau de vassoura, chegando a bater-lhe com esse objecto na cabeça.”

Alunas IF e RM
•  “Estas menores sentiram necessidade de ir à casa de banho, sendo que a do recreio estava fechada. Deslocaram-se a  uma casa de banho junto da qual estava a arguida, que lhes perguntou o que estavam a fazer. [...] Levou-as para junto da sala da direcção e desferiu uma chapada na face de cada uma [...]” 

Aluno IM
•  “Foi chamado à presença da arguida por causa de um incidente no recreio [...] Quando chegou, ela desferiu-lhe diversas bofetadas na face. Noutro dia, depois de ter terminado a aula de Inglês e ter ficado a apanhar bolas de papel do chão, o menor cruzou-se com a arguida [...] Depois de lhe explicar que tinha estado a arrumar a sala, a arguida desferiu-lhe diversas bofetadas na cara.”

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×