25/9/17
 
 
Quem eram os pais dos maiores génios de sempre?
O pai de Fernando Pessoa morreu quando o futuro poeta fingidor tinha 5 anos

Quem eram os pais dos maiores génios de sempre?

O pai de Fernando Pessoa morreu quando o futuro poeta fingidor tinha 5 anos Marta F. Reis 20/05/2015 16:05

A ciência já evoluiu muito, mas está ainda longe de descobrir a raiz da inteligência. Os pais dos génios da nossa história, virtuosos ou estupidamente banais, também não ajudam a perceber de onde veio o talento dos filhos.

Leonardo Da Vinci 
(1452-1519)

Pai: Piero d’Antonio da Vinci 
Mãe: Caterina

Da mãe pouco se sabe. As teorias mais recentes dizem que seria uma escrava de origem asiática e o rosto que serviu de inspiração a Monalisa. Já o pai, Messer Piero d’Antonio da Vinci, teria algo de especial. Descedente de uma família de notários, o filho não terá seguido a carreira dos homens de família por ser ilegítimo. Mas Piero d’Antonio da Vinci não ignorou o talento do filho e arranjou-lhe trabalho numa das oficinas mais prestigiadas de Florença, de Andrea del Verrocchio. Piero d’Antonio da Vinci é lembrado como um homem de cultura, com uma escrita refinada para a época. Além disso, conquistou todos os lugares de topo que podia, o maior deles trabalhar para os Médici.

Galileu Galilei  
(1564-1642)

Pai: Vincenzo Galilei
Mãe: Giulia Ammannati

O pai Vincenzo Galilei deixou marca na escola musical do Renascimento tardio, sendo visto como um dos percursores da era barroco. Enquanto compositor, é considerado um dos pais do canto a uma só voz, a monodia. Pensa-se também que terá inspirado a vocação científica do filho, dado que constribuiu para o estudo da matemática da música desvendando uma relação entre a tensão das cordas e o tom. A mãe seria como a maioria das mulheres com algumas: dona de casa  posses. A História não diz muito bem dela, dado que terá contribuído para a denúncia de Galileu como herege. 

Isaac Newton 
(1642-1727)

Pai:  Isaac Newton Sr.
Mãe: Hannah Ayscough

O pai era agricultor bem sucedido, descrito como homem extravagante mas que não saberia sequer escrever o seu nome. Morreu três meses antes do nascimento do filho. A mãe tornou a casar e esteve pouco presente na vida de Newton, que viria a ficar conhecido na história como o pai das leis da gravidade. Ainda assim, com 14 anos, Newton chegou a abandonar os estudos para ajudar a família com os trabalhos no campo, vocação que não chegou a sair. Se os pais não faziam adivinhar o futuro brilhante, uma coisa tem em em comum com alguns génios: era um aluno fraco e os professores descreviam-no como desatento e preguiçoso.

Wolfgang A. Mozart 
(1756-1791)

Pai: Leopold Mozart
Mãe: Anna Maria Mozart

Menos conhecido do grande público, o pai Mozart também tem o seu lugar na história. Aliás foi ele quem iniciou o filho Amadeus na música e assinou um dos manuais de violino mais famosos da época. Foi violinista e responsável do coro da Catedral de Salzburgo. Consta, contudo, que o seu maior orgulho era o talento do filho, “milagre que Deus fez nascer em Salzburgo”. A mãe  Anna Maria viveu para os dois filhos e acompanhou Amadeus nas suas viagens, mas não lhe são reconhecidos especiais talentos. Aliás os biógrafos descrevem-na como uma mulher sensível, mas ofuscada pelo marido, que tentava gerir a carreira do filho.

Marie Curie 
(1867-1934) 

Pai: Władysław Skłodowski
Mãe: Bronisława Skłodowska

Os cientistas não acreditam em diferenças de inteligência entre homens e mulheres, mas é uma constatação que não tem passado despercebida. Nas habituais listas de mentes brilhantes, são muito poucas as mulheres e Marie Curie é a única que nunca falha. Foi a primeira mulher a ganhar um prémio Nobel e a única a vencer duas vezes o galardão, pela investigação pioneira sobre a radiação. Nasceu em Varsóvia e os pais eram ambos professores de liceu.

Albert Einstein  
(1879-1955)

Pai: Hermann Einstein
Mãe: Pauline Einstein 

O pai gostava de matemática e formou-se em engenharia. Apostou contudo na carreira de empresário. Começou por ser vendedor e mais tarde teve empresas de electricidade em Milão. A mãe Pauline vinha de uma família fina e além de uma educação cuidada, gostava de artes. Consta que foi Pauline que insistiu para que Einstein tivesse aulas de violino. Continua a circular o rumor de que teria sido mau aluno, mas documentos do cientista guardados na Universidade de Princeton sugerem que teria boas notas a Matemática, Álgebra e Física, além de ser prodigioso no violino. A sua maior dificuldade era com o francês.

Fernando Pessoa 
(1888-1935)

Pai: Joaquim de Seabra Pessoa
Mãe: Maria Madalena Pinheiro Nogueira

O pai trabalhava no Ministério da Justiça mas é lembrado pela paixão pelas artes e pelas críticas musicais no “Diário de Notícias”. Fernando privou pouco com Joaquim, já que o pai morreu quando o futuro poeta fingidor tinha apenas cinco anos. Mais próxima foi a relação com a mãe, de boas famílias e que além de falar várias línguas também gostava de poesia. Os seus versos não ficaram para a história, mas o primeiro poema de Pessoa, escrito aos sete anos, foi dedicado à mãe. Chamava-se “À Minha Querida Mamã” e dizia assim:“Ó terras de Portugal/ Ó terras onde eu nasci/ Por muito que goste delas/ Inda gosto mais de ti”.

Stephen Hawking
(1942-)

Pai: Frank Hawking
Mãe: Isobel Hawking

Tanto o pai como a mãe se licenciaram na Universidade de Oxford. O pai especializou-se em doenças tropicais mas a mãe acabou por não seguir a carreira académica. Foi inspectora do fisco e por fim secretária num hospital, onde conheceria o futuro marido. Não lhe é atribuído nenhum percurso extraordinário, mas há algumas curiosidades. Na última semana de gravidez Isobel ter-se-á dedicado à leitura de um atlas de astronomia, algo que consideraria ser premonitório. Por outro lado Hawking, mau aluno em criança, nasceu precisamente 300 anos depois da morte de Galileu, facto que sempre o orgulhou. 

Steve Jobs  
(1955-2011)

Pai: Abdulfattah Jandali
Mãe: Joanne Schieble Jandali Simpson

Steve Jobs nunca conheceu os pais biológicos. Joanne e Abdulfattah, sírio emigrado nos Estados Unidos, conheceram-se na Universidade de Wisconsin, apaixonaram-se e Jobs foi um acidente de percurso. Como as famílias não aceitaram que ficassem juntos, Joanne acabou por dar Steve para adopção. O fundador da Apple sempre viu nos pais adoptivos Paul e Clara os verdadeiros progenitores. Segundo reza a história, a mãe Joanne terá exigido que, apesar de não terem estudos superiores, incentivassem o rapaz a ir para a faculdade. Joanne é terapeuta da fala e Jandali é vice-presidente um casino no Nevada. 

Garry Kasparov  
(1963-) 

Pai: Kim Moiseyevich Weinstein
Mãe: Klara Shagenovna

Considerado uma das mentes mais brilhantes do mundo, ainda assim capaz de vencer uma máquina no xadrez, Garry Kasparov surpreendeu os pais quando aos cinco anos resolveu uma partida publicada no jornal, mal tinha acabado de aprender a regras. Os pais eram engenheiros, com um percurso banal. A única coisa mais fora de comum na família era a vocação musical no lado paterno. O pai morreu quando Garry tinha sete anos. A mãe acompanhou sempre a sua carreira, há quem diga que até de mais.

 

 

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

Não tem utilizador? Clique aqui para registar

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×