19/1/19
 
 
Visitantes dos museus da Gulbenkian em Lisboa aumentaram 20% em 2014

Visitantes dos museus da Gulbenkian em Lisboa aumentaram 20% em 2014

13/01/2015 00:00
No ano passado, o Museu da Fundação Gulbenkian, com as exposições temporárias incluídas, recebeu 273.501 visitantes e o Centro de Arte Moderna (CAM), 103.637 entradas

Os visitantes dos museus da Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, aumentaram 20 por cento em 2014, em relação ao ano anterior, incluindo entradas para exposições temporárias como "Os Czares e o Oriente", com tesouros do Kremlin.

Outra das principais exposições da instituição, inaugurada em outubro do ano passado - "A História Partilhada. Tesouros dos Palácios Reais de Espanha" -, vai continuar patente até ao próximo dia 25 de janeiro.

Contactada pela agência Lusa sobre um balanço das visitas aos museus da instituição, em 2014, o gabinete de imprensa da Fundação Calouste Gulbenkian indicou que se registaram um total de 377.137 entradas, em 2014, enquanto em 2013 se situaram em 312.159, o que corresponde a um aumento próximo dos 20 por cento.

No ano passado, o Museu da Fundação Gulbenkian, com as exposições temporárias incluídas, recebeu 273.501 visitantes e o Centro de Arte Moderna (CAM), 103.637 entradas.

O aumento de entradas, no ano passado, verificou-se exclusivamente no Museu da Fundação: no ano anterior, 2013, o Museu tinha recebido 203.042 visitantes, cerca de um terço a menos do que em 2014, e o CAM recebera 109.117, quase mais seis mil do que em 2014.

O maior número de visitantes recebidos no CAM em 2013, é justificado pela Gulbenkian com a maior afluência de público para as iniciativas dos 30 anos daquele museu, sobretudo na exposição "Sob o Signo de Amadeo. Um Século de Arte", que acolheu perto de 70 mil pessoas.

A exposição incluiu quase todas as obras de Amadeo de Souza-Cardoso da colecção do CAM, num total de 176 peças, das 190 em acervo.

Em 2014, a exposição “Os Czares e o Oriente”, dedicada à colecção oriental do Kremlin, recebeu 30.000 visitantes em dois meses e meio, também segundo os números da Gulbenkian.

No CAM, continuam patentes, entre outras, até 25 de janeiro, as exposições "António Dacosta 1914 | 2014", com curadoria de José Luís Porfírio, "Salette Tavares: Poesia Espacial", com curadoria de Margarida Brito Alves e Patrícia Rosas, e "Animalia e Natureza", com curadoria de Isabel Carlos e Patrícia Rosas.

 Com Lusa

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×