Macron diz que existe “plano B e plano C” para Jogos Olímpicos

Macron diz que existe “plano B e plano C” para Jogos Olímpicos


Inicialmente, esperava-se que 600 mil pessoas pudessem assistir à cerimónia de abertura, que previa que as delegações dos países percorressem o rio Sena durante 6 quilómetros.


O Presidente francês, Emmanuel Macron, anunciou, esta segunda-feira, que existem preparados planos alternativos para a cerimónia de inauguração dos Jogos Olímpicos, como limitá-la no espaço, ou realiza-a no Estádio de França, e mostrou-se convencido que poderá concretiza-la no Sena, apesar de ameaça terrorista.

Esta é a primeira vez que o chefe de Estado francês aborda a existência de cenários alternativos, depois de já ter admitido no passado, de dispor de várias opções para a cerimónia de inauguração.

Em entrevista à estação televisiva BFMTV, Macron indicou que: "A cerimónia que planeamos é uma estreia mundial. Temos de a realizar e vamos realizá-la. (…) Mas temos plano B e plano C e preparamo-los em paralelo".

Existem assim, de acordo com o presidente francês, das hipóteses: realizar a cerimónia nos jardins do Trocadero, que no plano principal seria o ponto final do desfile das delegações pelo Sena, ou fazê-la no Estádio de França, em Saint-Denis, a norte de Paris, que acolherá as provas de atletismo.

A cerimónia de abertura dos Jogos Olímpicos de Paris, prevista para 26 de julho, será a primeira realizada fora de um Estádio.

Espera-se que cerca de 10.500 atletas desfilem pela capital francesa em barcos, no rio sena, ao longo de um percurso de seis quilómetros.

De modo a limitar os riscos de segurança, Macron já admitiu a possibilidade de encurtar o itinerário do desfile, ou transferi-lo na sua totalidade para o Estádio de França.

Inicialmente, a orgnização previa que poderiam assistir gratuitamente à cerimónia, nas margens do rio Sena, mais de 600 mil pessoas, porém, as recentes preocupaçõe sde segurança e logística obrigaram o Governo frânces a reduzir as suas ambições, reduzindo o númro de observadores para 300 mil.

O Executivo de França entendeu também que os turistas não irão usufriur de acesso gratuito à cerimónia, por questões de segurança. Apenas os convidados poderão assistir gratuitamente.

Os Jogos Olímpicos vão decorrer entre 26 de julho e 11 de agosto.