Absolvição de difamar Mário Ferreira para Ana Gomes

Absolvição de difamar Mário Ferreira para Ana Gomes


Este é o quarto processo que o dono do grupo Mystic Invest/Douro Azul e da TVI move por difamação contra a ex-candidata a Presidente da República.


Ana Gomes foi esta quinta-feira absolvida de difamar Mário Ferreira. Numa publicação numa rede social, a ex-eurodeputada terá aludido a uma suposta ligação do empresário ao narcotráfico.

Segundo o juiz do tribunal do Bolhão, no Porto, onde decorreu o julgamento, a conduta da arguida não preenche crime de difamação.

Em causa está a publicação que a antiga eurodeputada fez a 14 de março de 2021 na sua página da rede social Twitter, agora X, de um comentário alusivo a uma notícia do jornal Expresso sobre o investimento de Mário Ferreira numa empresa de aviação.

Na publicação, Ana Gomes afirmou que o empresário do Porto pretendia “emular” a OMNI Aviação e Tecnologia, companhia que viu serem apreendidas 500 toneladas de droga num avião seu proveniente do Brasil.

No decorrer do julgamento, Mário Ferreira teve no rol de testemunhas figuras como o novo presidente da Assembleia da República José Pedro Aguiar Branco, o antigo vice-primeiro-ministro Paulo Portas, o antigo embaixador José Pereira Gomes ou o dono da consultora de comunicação WLP, Luís Bernardo.

Este é o quarto processo que o dono do grupo Mystic Invest/Douro Azul e da TVI move por difamação contra a ex-candidata a Presidente da República.

Em setembro de 2023, a antiga eurodeputada foi condenada a pagar uma multa de 2.800 euros e uma indemnização de 8.000 euros a Mário Ferreira por o ter apelidado de “escroque”, também num tweet. Entretanto, a 1 de fevereiro de 2024, o Tribunal da Relação do Porto absolveu-a deste crime.