Grupo Vita anuncia manual de prevenção da violência sexual

Grupo Vita anuncia manual de prevenção da violência sexual


“Sabemos muito sobre violência sexual em geral, mas sabemos pouco sobre a violência sexual neste contexto específico da Igreja” explica a coordenadora do Grupo Vita, Rute Agulhas


O Grupo Vita vai apresentar, esta terça-feira, numa conferência de imprensa, em Lisboa, um manual de prevenção da violência sexual no contexto da Igreja Católica.

O documento, intitulado de “Manual de Prevenção de Violência Sexual Contra Crianças e Adultos vulneráveis no Contexto da Igreja Católica em Portugal” assenta em “10 mandamentos” e, conforme avança a coordenadora da estrutura, Rute Agulhas, à Lusa, serve para se “conhecer melhor as especificidades [da violência sexual] neste contexto” da igreja.

“Sabemos muito sobre violência sexual em geral, mas sabemos pouco sobre a violência sexual neste contexto específico da Igreja” acrescenta.

Além de se vir a apresentar o manual, serão também divulgados os números dos primeiros seis meses de atividade do Grupo Vita. Segundo o balanço mais recente, avançado no final de outubro, a estrutura já tinha recebido 62 pedidos de ajuda de vítimas de violência sexual na Igreja, existindo 12 pessoas com apoio psicológico e outras duas com apoio psiquiátrico.

O manual, cujo mote é “Conhecer, prevenir e agir – Para uma cultura de cuidado e proteção” é o resultado de uma reflexão conjunta dos grupos executivo e consultivo, da experiência profissional nesta área e de uma extensa revisão de literatura existente sobre a violência sexual, explica Rute Agulhas.

Entre os 10 mandamentos, estão: a importância de quebrar o tabu; a importância de criar ambientes seguros e protetores através de códigos de conduta e boas práticas; a definição de políticas e canais de denúncia; saber escutar as vítimas.

A coordenadora do Grupo Vita avança ainda, que o manual, que será disponibilizado hoje, também em formato online, tem como objetivo central “sistematizar as boas práticas”, embora não seja imposto qualquer tipo de timing ou metodologia para a sua implementação nas estruturas e nos organismos ligados à Igreja Católica em Portugal.

“Não há imposições de timing, porque há ritmos e caminhos diferentes neste contexto da prevenção da violência sexual entre as diversas instituições. A ideia é cada estrutura olhar para o manual e adaptar de acordo com o seu contexto e a sua atividade”, sustenta Rute Agulhas.

O Grupo Vita pode ser contactado através da linha de atendimento telefónico (91 509 0000) ou do formulário para sinalizações, já disponível no site www.grupovita.pt.