Princesa das Astúrias para ‘corredor de fundo’

Princesa das Astúrias para ‘corredor de fundo’


Haruki Murakami, eterno candidato ao Nobel, junta-se a autores como Amin Maalouf, Margaret Atwood, Paul Auster e Susan Sontag.


O japonês Haruki Murakami, autor de romances como Kafka à beira-mar e Crónica do Pássaro de Corda, venceu o prémio Princesa das Astúrias das Letras 2023, um dos mais importantes de Espanha e da Europa. O júri, presidido Santiago Muñoz Machado, sublinhou «a singularidade da sua literatura, o seu alcance universal, a sua capacidade para conciliar a tradição japonesa com o legado da cultura ocidental numa narrativa ambiciosa e inovadora, que soube exprimir alguns dos grandes temas e conflitos do nosso tempo: a solidão, a incerteza existencial, a desumanização nas grandes cidades, o terrorismo, mas también o cuidado do corpo ou a própria reflexão sobre o ofícior criativo». Continua o comunicado do júri: «A sua voz, expressa em diferentes géneros, chegou a gerações muito distintas. Haruki Murakami é um grande corredor de fundo da literatura contemporânea».

Perpétuo candidato ao Nobel, que a Academia sueca teima em não lhe atribuir, Murakami é um profundo conhecedor de música, tendo tido um bar de jazz antes de se dedicar à escrita. Um dos seus romances, Norwegian Wood, foi buscar o título a uma canção dos Beatles e, em 2011, publicou um livro de conversas com o maestro japonês Seiji Ozawa, Música, só Música, editado em Portugal pela Casa das Letras em abril do ano passado.