EUA. Encontrada viva mulher que tinha sido dado como morta em 1992

EUA. Encontrada viva mulher que tinha sido dado como morta em 1992


A mulher, Patricia Kopta, agora, com 83 anos, foi acolhida no centro porto-riquenho em 1992, como uma pessoa “em necessidade”, tendo desaparecido no início dos anos 1990.  


Uma mulher que se encontrava desaparecida desde 1992, tendo mesmo sido dada como morta, foi encontrava vivia no estado norte-americano da Pensilvânia, a habitar num lar de idosos no Porto Rico. 

A mulher, Patricia Kopta, agora, com 83 anos, foi acolhida no centro porto-riquenho em 1992, como uma pessoa "em necessidade", tendo desaparecido no início dos anos 1990.  

De acordo com a imprensa internacional, que cita as autoridades da vila de Ross Township, onde Patricia Kopta vivia, a mulher omitiu dados passado quando chegou ao Porto Rico e, mais tarde, começou a revelar sintomas de demência. 

Tudo mudou no ano passado: após anos de vida passados no lar porto-riquenho, uma assistente social reuniu informações suficientes para alertar as autoridades, que confirmaram a identidade da mulher desaparecida através de testes de ADN.