Melchior Moreira julgado em separado

Melchior Moreira julgado em separado


Arguido estava prestes a ser libertado


Um juiz de instrução do Porto ordenou nova separação de processos na Operação Éter, com o objetivo de julgar autonomamente Melchior Moreira, antigo presidente do Turismo do Porto e Norte de Portugal (TPNP). 

Esta separação de processos permitirá manter o arguido em prisão preventiva. Melchior Moreira preparava-se para sair em liberdade no dia 24 de fevereiro, devido ao fim do prazo de prisão preventiva.

 Num despacho, datado de 22 de janeiro, o mesmo juiz reconhece que de outro modo seria impossível evitar a libertação de Melchior Moreira, a 24 de fevereiro.

 O antigo presidente do TPNP estava já sujeito à medida de coação mais gravosa desde o dia 25 de fevereiro de 2018, uma semana após ser detido pela Polícia Judiciária. Com esta separação, é possível prolongar a sua pena de prisão preventiva até dois anos e meio.