Atletas. O escândalo é inimigo da publicidade

Atletas. O escândalo é inimigo da publicidade


Doping, crimes, escândalos sexuais ou até mesmo doença ou acidente. Basta um deslize para que os reis do desporto passem a bobos de uma corte feita de opinião pública. Além de verem a sua credibilidade posta em causa, é comum perderem os patrocínios que os ajudam a ter uma vida de luxo e uma carreira…


Maria Sharapova

Maria Sharapova, de 28 anos, revelou que teve um controlo positivo a meldonium, substância que toma desde 2006 e se tornou proibida este ano, assumindo que não tinha visto a lista atualizada de produtos proibidos. Depois de a notícia ter sido divulgada, a Nike, a Porsche e a TAG Heuer retiraram os patrocínios à tenista russa. Além disso, as Nações Unidas retiraram a Sharapova o cargo honorário de embaixadora que mantinha há nove anos.

Motivo: Doping
Patrocínios perdidos: Nike, Porsche e Tag Heuer

Manny Pacquiao

“Abominável.” Foi esta palavra que a Nike usou para caracterizar o comportamento de Manny Pacquiao. O pugilista pronunciou-se contra os homossexuais numa entrevista em que afirmou que os gays são “pior do que os animais”. A Nike lembrou que se opõe “ferozmente à discriminação de qualquer tipo” e deixou de patrocinar Pacquiao.
 
Motivo: Insultos a homossexuais
Patrocínios perdidos: Nike

Michael Schumacher

Michael Schumacher continua em estado de coma desde que um acidente na neve o deixou entre a vida e a morte, no final de 2103. Desde então, pelo menos duas marcas de roupa já se desassociaram da imagem do atleta. Já a Mercedes, equipa pela qual corria na altura do acidente, garantiu que não vai deixar de investir na recuperação do atleta. 

Motivo: Acidente de esqui
Patrocínios perdidos: Navyboot, Jet Set

Lance Armstrong

A Nike foi a primeira a romper o contrato que tinha com Lance Armstrong, mas outras sete empresas seguiram o exemplo. Depois de ter sido divulgado que o ciclista consumiu substâncias ilegais durante grande parte da sua carreira, perdeu milhões de euros em patrocínios. A Nike deixou de financiar a Fundação Livestrong, criada pelo ciclista.

Motivo: Doping
Patrocínios perdidos: Nike, Sram, Trek, FRS, Anheuser-Busch, 24 Hour Fitness, Honey Stinger, Giro 

Oscar Pistorius

A Nike e o fabricante de óculos Oakley romperam vínculos com Oscar Pistorius, que é acusado de ter assassinado a tiro a namorada, a modelo Reeva Steenkamp. Só através da marca desportiva, o atleta receberia quase dois milhões de dólares por ano pelo contrato. A marca viu-se obrigada a retirar uma campanha na qual comparava a velocidade do atleta à de uma bala.

Motivo: Acusado de matar a namorada
Patrocínios perdidos: Nike e Oakley

Tiger Woods

Tudo começou quando um tabloide revelou uma das relações extraconjugais de Tiger Woods. A partir daí, foram várias as mulheres a admitir terem tido relacionamentos com o golfista enquanto este era casado com a modelo sueca Elin Nordegren. A Gillette suspendeu as publicidades televisivas em que aparecia como protagonista e foram várias as marcas que cortaram o vínculo profissional.

Motivo: Escândalo sexual
Patrocínios perdidos: Gatorade, AT&T, Accenture, Tag Heuer

Michael Phelps

Já tinham sido divulgadas fotos suas a fumar marijuana e até já tinha sido apanhado a conduzir sob o efeito de álcool. A gota de água foi quando foi apanhado uma noite com o dobro de gramas de álcool permitidos por lei. Apesar de ter dado entrado numa clínica de reabilitação e de ter já assegurado presença nos Jogos Olímpicos de 2016, não se livrou de perder o patrocínio da Kellogg’s.

Motivo: Consumo de droga e álcool
Patrocínios perdidos: Kellogg’s

Mike Tyson

Mike Tyson habituou-se a somar títulos e escândalos. Com 20 anos era campeão mundial 

de pesos-pesados, feito rapidamente camuflado por casos como o uso de drogas, a condenação por violação e os inúmeros casos de violência fora dos ringues. Este tipo de comportamento fez com que perdesse o contrato que tinha com a Pepsi.

Motivo: Violência, detenção por violação e uso de drogas
Patrocínios perdidos: Pepsi

Magic Johnson

Um dos maiores atletas dos anos 90 perdeu o apoio da Pepsi e da Converse logo após ter anunciado ser seropositivo. Decidiu retirar-se dos campos e dedicar-se a uma vertente mais empresarial e à luta contra o VIH. Só em patrocínios, o basquetebolista perdeu cerca de 10 milhões de euros.

Motivo: Ser seropositivo
Patrocínios perdidos: Pepsi e Converse

O. J. Simpson

O ex-jogador de futebol americano foi protagonista de um dos julgamentos mais famosos das últimas décadas (tem até direito a uma recente série televisiva). Em 1994 foi acusado da morte da ex-mulher mas acabou absolvido. O caso custou-lhe o patrocínio da Hertz.

Motivo: Acusado da morte da ex-mulher
Patrocínios perdidos: Hertz