Usain Bolt. A importância dos 9,77

Usain Bolt. A importância dos 9,77


Jamaicano teve a final mais apertada da carreira. Como aconteceu nos outros títulos?


Usain Bolt é um fenómeno. O velocista jamaicano apareceu repentinamente em 2008, nos Jogos Olímpicos de Pequim, e não precisou de muito tempo para se tornar num dos favoritos da multidão. Bem disposto, divertido e com uma eficácia letal. Se corria, ganhava. Além disso, muitas vezes, continuava a baixar os recordes do mundo.

Em Pequim, sete anos depois, a hegemonia esteve em risco. Justin Gatlin era uma grande ameaça e fizera melhores tempos nas eliminatórias e nas meias-finais. Usain Bolt, por outro lado, parecia perro, com mais dificuldades para fazer a diferença. E logo ele que no passado até tinha fama de começar a descomprimir logo aos 80 metros, tal era a vantagem. No domingo, Bolt deu tudo até ao fim. Nem podia ser de outra forma. Depois de Berlim-2009 e Moscovo-2013, Usain Bolt foi campeão do mundo pela terceira vez, apenas por um centésimo.

A marca de 9,77 segundos foi suficiente para bater Justin Gatlin, mas como seria nos outros títulos que venceu?

Jogos Olímpicos Pequim-2008 Venceu com 9,69 e bateu o recorde do mundo. Richard Thompson, de Trindade e Tobago, foi segundo com uma marca de 9,89.

Mundiais de Berlim-2009 O jamaicano bateu novamente o recorde do mundo, com um tempo de 9,58 que se mantém até hoje, mas o tempo registado esta semana não seria suficiente para ganhar. O segundo, Tyson Gay, registou 9,71.

Jogos Olímpicos Londres-2012 Recorde olímpico com 9,63 e vitória tranquila. Mas a medalha de prata foi para o compatriota Yohan Blake, com um tempo de 9,75. O bronze de Justin Gatlin foi conseguido com uma marca muito semelhante à de Pequim: 9,79.

Mundiais de Moscovo-2013 Dois anos de diferença e muitos quilómetros de distância, mas o tempo foi precisamente igual. Bolt venceu a final dos 100 metros com 9,77 segundos e conseguiu oito centésimos de vantagem sobre Justin Gatlin.

De fora, ficaram os Mundiais de Daegu em 2011, quando Usain Bolt cometeu uma falsa partida na final. Yohan Blake foi o grande beneficiado mas o tempo ficou muito aquém dos registados durante este período: foi o único dos finalistas a baixar dos dez segundos e não foi além dos 9,92.