Coluna sai amuado do Benfica


5 de Julho de 1970. É ano de Mundial e, como de costume, o Sporting é campeão nacional.


Assim é em 1958, 1962 e 1966. Por que razão em 1970 haveria de ser diferente?

Mas a Taça de Portugal, essa, vai para o Benfica, na tal final em que se faz o primeiro controlo anti-doping do futebol português.

O treinador é então José Augusto, que propõe ao veterano Coluna pendurar as chuteiras e trabalhar com ele no comando técnico do clube, como adjunto. Não, não e não.

Aos 34 anos de idade, e do alto do seu currículo (18 títulos, entre dez campeonatos, seis Taças de Portugal e duas Taças dos Campeões), Coluna não se sente fraco e quer continuar a jogar.

Mas José Augusto não lhe promete a titularidade, em detrimento da frescura dos mais novos, como Toni, Jaime Graça, Matine e Vítor Martins.

Zangado com o mundo, Coluna transfere-se para o Lyon, onde ainda joga a época 1970-71 antes de pendurar as chuteiras e voltar a Portugal.