“As organizações têm de se habituar ao sangue novo”, diz presidente da RTP

“As organizações têm de se habituar ao sangue novo”, diz presidente da RTP


Gonçalo Reis, presidente da RTP, garante que são necessários conteúdos diferenciados e, por isso, fazia sentido constituir uma nova equipa


Paulo Dentinho foi o jornalista escolhido pela administração liderada por Gonçalo Reis para ser o novo director de informação da RTP. A ele junta-se Daniel Deusdado, antigo director da produtora Farol de Ideias, que assume a direcção de programas, a RTP Internacional e a Informação; enquanto para a rádio foi convidado João Paulo Baltazar, ex-jornalista da TSF, de onde saiu recentemente.

“Foi anunciada esta sexta-feira a nossa nova equipa e, para já, temos um novo plano estratégico. Não houve o anúncio de um novo nome, houve o anúncio de uma nova equipa”, afirma Gonçalo Reis, em declarações ao i, acrescentando: “Queremos conteúdos diferenciados e fazia sentido constituir uma nova equipa. Foi o que fizemos.” Já sobre o facto de todos os nomes, à excepção de dois, serem da RTP, Gonçalo Reis diz que é o que faz sentido: “A RTP tem muitas valências que têm de ser aproveitadas. Foi nisso que pensámos e é isso que estamos a fazer.”

Sem querer falar de qualquer um dos nomes em particular, o presidente da RTP admite que é cada vez mais importante para as empresas maximizarem todos os recursos e conseguirem introduzir novas dinâmicas: “As organizações têm de se habituar ao sangue novo. É um aspecto muito importante.”

Em comunicado, a equipa liderada por Gonçalo Reis anunciou que Teresa Paixão, que era gestora da RTP2, passa a ser directora do canal – algo que o presidente da RTP destaca, uma vez que se trata da “primeira mulher a dirigir um canal de televisão nos últimos anos”. Uma questão que leva à tentativa de igualdade de géneros no mercado laboral, que tem vindo a ser muito debatida ultimamente.

Gonçalo Madaíl assume a liderança da RTP Memória e José Arantes, que chegou a ser responsável pelos dois canais internacionais, fica agora apenas com a RTP África. Daniel Deusdado, antigo sub-director do “Público”, passa a ser o director de programas da RTP e director da RTP Informação e da RTP Internacional. Já Rui Pêgo mantém a direcção da Antena 1 e da Antena 2, da mesma forma que fica ainda com a direcção da RDP África e da RDP Internacional.

Já a Antena 3 fica a cargo de Nuno Reis. Recorde-se que Paulo Dentinho irá ocupar o lugar de José Manuel Portugal, foi informado na noite de terça-feira de que a administração não contava mais com ele para estar no cargo.

Em comunicado enviado às redacções, a administração defende que entendeu ser importante fazer alterações na estrutura da empresa para conseguir sustentar a “mudança de paradigma de serviço público” – alterações que, ainda de acordo com o mesmo documento, visam “assumir um posicionamento e política de conteúdos diferenciada (…) com uma nova programação claramente orientada para os cânones de serviço público, alcançando um carácter próprio, distintivo, no panorama do audiovisual”.

As principais áreas da RTP que deverão fazer parte desse novo modelo de serviço público são as estruturas de programas e de informação dos diferentes canais, que “devem ser lideradas por uma equipa que possa assegurar a mudança que se pretende”. “Torna-se necessário proceder à alteração do modelo que até aqui tem sido seguido. Para tal, as áreas fulcrais da RTP que o deverão concretizar são as estruturas de programas e de informação dos diferentes canais”, salienta ainda o documento. A administração aproveitou também para sublinhar que a nova estrutura orgânica que apresentou ao conselho geral independente esta sexta-feira de manhã foi aprovada e será implementada “em breve” na empresa.