PT. 98% dos accionistas votam a favor da venda da PT Portugal


Os accionistas da PT SGPS acabaram de votar a favor da venda da PT Portugal aos franceses da Altice. O negócio renderá um encaixe de 7,5 mil milhões de euros à Oi.  A votação teve lugar esta tarde, e 97,81% dos accionistas deram parecer positivo ao negócio. Recorde-se que o presidente da Oi, Bayard Gontijo,…


Os accionistas da PT SGPS acabaram de votar a favor da venda da PT Portugal aos franceses da Altice. O negócio renderá um encaixe de 7,5 mil milhões de euros à Oi.  A votação teve lugar esta tarde, e 97,81% dos accionistas deram parecer positivo ao negócio. Recorde-se que o presidente da Oi, Bayard Gontijo, falou aos accionistas antes da votação, para os tentar convencer a votar a favor da venda.

Com a votação desta tarde chega ao fim a novela PT-OI, que incluiu uma Assembleia Geral (AG) de Accionistas adiada, uma carta de Henrique Granadeiro ao presidente da AG, Menezes Cordeiro, a dizer-se contra a venda da empresa e a ameaça de um processo por parte da Oi ao antigo presidente da PT.

No dia 12 de Janeiro os accionistas pediram a suspensão da AG alegando que tinham pouca informação disponível para poder decidir sobre a venda da PT  Portugal. Apenas um dia depois, a CMVM e Menezes Cordeiro recebiam uma carta assinada por Granadeiro onde o antigo gestor se dizia contra a operação. Utilizando, segundo a brasileira Oi, “factos descontextualizados e que não correspondem à verdade”. Tendo em conta o estatuto de Granadeiro, antigo ‘chairman’ e CEO da Portugal Telecom, a Oi temia também o impacto das suas palavras no sentimento dos accionistas. E avisou que ia avançar com um processo contra o antigo administrador.

Esta tarde, Gontijo decidiu, por isso, fazer-se presente na AG para apelar à concretização da venda da PT Portugal. A empresa será assim vendida aos franceses da Altice, que ofereceram 7,5 mil milhões de euros e que fizeram uma parceria com os CTT. “Com a compra da PT Portugal pela Altice, os CTT receberão um pagamento inicial de 15 milhões de euros, que será reforçado em mais 15 milhões de euros sujeito à concretização do acordo-quadro referido”. Montantes que representam “uma antecipação do valor mínimo das sinergias a realizar no âmbito de uma mais vasta parceria comercial e estratégica”, referiram os CTT em comunicado, no final de Novembro do ano passado.

Com o montante pago pela Altice, a Oi consegue reduzir para metade a sua dívida, que é de cerca de 15 mil milhões de euros. Esta entrada de capital dará algum pulmão à operadora numa altura em que já desvalorizou quase 50% em bolsa desde o início do ano.