Mesquita de Lisboa foi alvo de vandalismo


A Mesquita Central de Lisboa, em São Sebastião, foi nesta sexta-feira vandalizada, avança o site Observador. O imã afirma nunca ter visto acto semelhante na mesquita. De acordo com as informações, o acto vândalo ocorreu entre as 7 horas e as 8 horas. Depois do sucedido, as autoridades alertaram os responsáveis da mesquita de Lisboa.…


A Mesquita Central de Lisboa, em São Sebastião, foi nesta sexta-feira vandalizada, avança o site Observador. O imã afirma nunca ter visto acto semelhante na mesquita.

De acordo com as informações, o acto vândalo ocorreu entre as 7 horas e as 8 horas. Depois do sucedido, as autoridades alertaram os responsáveis da mesquita de Lisboa.

Os responsáveis pelo acto de vandalismo desenharam o número “1143” na porta principal do edifício e numa parede lateral da fachada. Este número representa a data em que Portugal se tornou independente. Foi o ano em que D. Afonso Henriques assinou o Tratado de Zamora. Há possibilidade de ser o código de um grupo neonazi. A pintura já foi em grande parte limpa.

Sheikh David Munir, imã da mesquita de Lisboa, explicou que quando se realizou a oração da manhã ainda não havia qualquer pintura na porta principal.

“A PSP é que nos disse que é de um xenófobo, um grupo neonazi, mais que isso não sabemos. O agente da PSP é que disse que é o número que os neonazis utilizam”, informou o imã.

“Para já não houve qualquer alteração ao estado de alerta em Portugal”, revelou aos jornalistas Júlio Pereira, o secretário-geral do Sistema de Informações da República Portuguesa (SIRP) à margem da cerimónia de tomada de posse, no Ministério da Administração Interna, do director nacional do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), juiz desembargador António Carlos de Beça Pereira.