Pintora Frida Kahlo é guia em obra de gastronomia mexicana a apresentar quarta-feira


A pintora mexicana Frida Kahlo (1907-1954) serve de guia num livro da investigadora Luz Martínez, sobre a gastronomia mexicana, que é apresentado na quarta-feira, na Embaixada do México, em Lisboa. A investigadora, que durante quase uma década participou em projetos de desenvolvimento e campanhas de sensibilização junto de comunidades indígenas mexicanas, defende que, “em poucos…


A pintora mexicana Frida Kahlo (1907-1954) serve de guia num livro da investigadora Luz Martínez, sobre a gastronomia mexicana, que é apresentado na quarta-feira, na Embaixada do México, em Lisboa.

A investigadora, que durante quase uma década participou em projetos de desenvolvimento e campanhas de sensibilização junto de comunidades indígenas mexicanas, defende que, “em poucos países, a história está tão representada na gastronomia como no México”.

Segundo Luz Martinez, “à enorme diversidade de sabores, cores e ingredientes da cozinha pré-hispânica, juntou-se uma variedade de pratos resultantes do contacto com os espanhóis, originando uma gastronomia extraordinariamente rica, variada e mundialmente reconhecida”.

A obra “À mesa com Frida Kahlo”, de Luz Martínez, é apresentada pelo embaixador do México em Portugal, Benito Andión, na legação diplomática, na Quinta de S. João, no Monsanto, em Lisboa, na quarta-feira, às 18:30.

Profusamente ilustrada com fotografias de Tiago Torrão, a obra apresenta diversas receitas dividas em sete capítulos -entradas, petiscos, saladas, sopas, pratos principais, sobremesas e bebidas -, incluindo um texto sobre a cozinha mexicana e outro que relaciona Frida Kahlo com a mesa mexicana, complementado com uma cronologia da pintora.

“Cada receita é apresentada de uma forma clara, desde a sua preparação até ao ato de servir, e enriquecida com sugestões e truques”, adianta a editora Parsifal, que chancela a obra.

Além do modo de preparação, é contada a história de cada iguaria, dos seus ingredientes específicos, e até de alguns utensílios, assim como aspetos da vida e a obra da artista plástica.

Ao lado das iguarias selecionadas, a autora, de 33 anos, licenciada em Relações Internacionais pela Universidad de las Américas, na Cidade do México, propõe uma explicação sobre algumas das telas de Kahlo.

Argumenta Luz Martínez que os quadros de Kahlo são intrínsecos à sua nacionalidade, tal como “a celebração do Dia dos Mortos, ou comer pimentos”.

À imagem de Frida “com a magia do seu pincel”, surge a pintora “preparada para, com panelas e colheres de pau, começar a desfrutar da cozinha mexicana”, afirma Martínez, realçando que, na residência da artista, a Casa Azul, “tudo era pretexto para reunir os amigos à volta da mesa” e, “se não havia pretexto, algum se inventava”.

No livro, além de apresentar “alguns dos seus quadros mais importantes, pela mão de Frida, também descobriremos sabores, conheceremos tradições e revisitaremos episódios que marcaram a história do México”, escreve Luz Martínez.

A apresentação desta obra insere-se nas celebrações dos 150 anos de relações Portugal-México.

*Este artigo foi escrito ao abrigo do novo acordo ortográfico aplicado pela agência Lusa