Gestores afastados do BES colaboram com Novo Banco por decisão de Vítor Bento


O Banco de Portugal remete para a administração do Novo Banco a decisão de manter uma colaboração com dois antigos administradores do Banco Espírito Santo (BES) que tinham suspensos dos seus cargos. A suspensão de Joaquim Goes e António Souto foi decidida após o conhecimento dos prejuízos do primeiro semestre do BES e foi justificada…


O Banco de Portugal remete para a administração do Novo Banco a decisão de manter uma colaboração com dois antigos administradores do Banco Espírito Santo (BES) que tinham suspensos dos seus cargos.

A suspensão de Joaquim Goes e António Souto foi decidida após o conhecimento dos prejuízos do primeiro semestre do BES e foi justificada pelo facto dos dois administradores terem a tutela de funções de controlo interno do banco que falharam na detecção de irregularidades.

Apesar de não ter de se pronunciar sobre as tarefas definidas pelo conselho de administração do Novo Banco, liderado por Vítor Bento, o Banco de Portugal explica as novas funções dos antigos administradores, num esclarecimento a um notícia avançada ontem pelo Expresso Diário.

Joaquim Goes é quadro do BES e retomou o seu cargo de director, tendo transitado para os quadros do Novo Banco. 

O Banco de Portugal confirma que o ex-gestor, que chegou a ser apontado como possível sucessor de Ricardo Salgado, está envolvido num projecto de reformulação da oferta comercial, em conjunto com uma consultora.

Já António Souto reformou-se do BES na sequência da suspensão, mas está a trabalhar no Novo Banco em regime de colaboração temporária com um contrato de prestação de serviços relacionado com o segmento de empresas, no processo de transição para a nova administração.

O Banco de Portugal assegura que os dois gestores, que continuam suspensos de funções no BES, não interferem na gestão diária do Novo Banco.

Eventuais responsabilidades individuais de Joaquim Goes e António Souto na administração do BES, liderada por Ricardo Salgado, serão apuradas no quadro da auditoria forense em curso.