Autarquia anuncia que ETAR de Paredes encerra nos próximos dias


A Câmara de Paredes anunciou hoje que a Estação de Tratamento de Águas Residuais localizada no centro do concelho vai encerrar nos próximos dias, após o investimento de 17 milhões de euros num novo sistema de saneamento. “A Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) localizada no centro de Paredes vai ser definitivamente encerrada nos…


A Câmara de Paredes anunciou hoje que a Estação de Tratamento de Águas Residuais localizada no centro do concelho vai encerrar nos próximos dias, após o investimento de 17 milhões de euros num novo sistema de saneamento.

“A Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) localizada no centro de Paredes vai ser definitivamente encerrada nos próximos dias, sendo substituída pela nova e mais moderna estação, em Paço de Sousa, Penafiel, que já está em funcionamento experimental”, revelou hoje a autarquia de Paredes em comunicado.

A câmara informa ainda que os esgotos tratados na ETAR de Paredes “estão já a ser direcionados para a nova unidade” e que o novo Sistema Multimunicipal de Saneamento da Bacia do Sousa envolveu um investimento de 17 milhões de euros.

Segundo a autarquia, este foi um “ambicioso projeto que começou a ser preparado, em 2008, em estreita colaboração entre a SIMDOURO SA, empresa do grupo Águas de Portugal, e as Câmaras Municipais de Paredes e Penafiel, para resolver de forma definitiva e eficaz os problemas de saneamento a cerca de 65 mil habitantes destes dois concelhos”.

No documento, o presidente da Câmara de Paredes, Celso Ferreira, defende que “a ETAR de Paredes nunca devia ter sido construída naquele local” e que “gerou um desconforto profundo aos habitantes da cidade”.

“Com cerca de 30 anos, a ETAR de Paredes funcionava há muito acima da capacidade, tratando os esgotos de cerca de 23 mil habitantes dos municípios de Paredes e Penafiel e não sendo já capaz de responder às exigências atuais de tratamento”, acrescenta.

De acordo com a autarquia, o novo Sistema de Saneamento da Bacia do Sousa implicou, entre outros investimentos, a construção de cerca de 50 quilómetros de intercetores, de 2,3 quilómetros de condutas elevatórias e de duas estações elevatórias, para além da aquisição de 490 parcelas de terrenos em 22 freguesias.

Para já, a nova estação de tratamento em Paço de Sousa tem capacidade para tratar os esgotos de 65 mil habitantes, chegando aos 80 mil “na segunda fase do projeto”.

Além da ETAR de Paredes, também as mini ETAR de Baltar e Besteiros serão desativadas.

 

*Este artigo foi escrito ao abrigo do novo acordo ortográfico aplicado pela agência Lusa