Saiba quais os supermercados que vão estar abertos no feriado do 1º de Maio


Supermercados como o Continente, o Jumbo, o Pingo Doce, O Lidl e o Intermarché não vão deixar os trabalhadores comemorarem o feriado do Dia do Trabalhador e vão abrir portas esta terça-feira, dia 1 de Maio. O Lidl que abre, pela primeira vez, justifica a decisão com a "conjuntura económica actual" sublinhando que a decisão…


Supermercados como o Continente, o Jumbo, o Pingo Doce, O Lidl e o Intermarché não vão deixar os trabalhadores comemorarem o feriado do Dia do Trabalhador e vão abrir portas esta terça-feira, dia 1 de Maio.

O Lidl que abre, pela primeira vez, justifica a decisão com a "conjuntura económica actual" sublinhando que a decisão foi tomada depois de consultar os colaboradores "que na sua maioria manifestaram disponibilidade para trabalhar neste feriado, sendo assim devidamente recompensados, numa altura tão desfavorável laboral e economicamente".

Os únicos supermercados que não vão abrir são o Minipreço e o El Corte Inglès, únicos associados da APED.

Sindicato acusa Pingo Doce e Continente de ameaçar trabalhadores que querem faltar no 1º de Maio

O Sindicato dos Trabalhadores do Comércio, Escritórios e Serviços de Portugal (CESP) acusou hoje o Pingo Doce e o Continente de ameaçar os funcionários que não forem trabalhar no feriado do 1º de maio, desrespeitando o direito à greve.

O CESP emitiu um pré-aviso de greve para terça-feira, data em que se celebra o Dia do Trabalhador para que os funcionários dos supermercados pudessem comemorar o feriado, mas, segundo o sindicato, o Pingo Doce e o Continente estão a ameaçar marcar falta injustificada a quem se ausentar nesse dia.

"A maioria das empresas da Grande Distribuição decidiram desrespeitar este direito dos trabalhadores de comemorarem o 1º de Maio e, além disso, ainda cometem a ilegalidade de desrespeitar o direito à greve!", contesta o sindicato, acrescentando que "já oficiou as empresas para que tomem medidas para que os direitos dos trabalhadores sejam respeitados".

Também o Sindicato dos Trabalhadores do Comércio e Serviços (CESP) criticou a abertura dos supermercados no feriado de 1 de Maio, pedindo mesmo a intervenção da associação do sector para acabar com estas práticas.

"Estarem abertos num dia como este é provocatório para os trabalhadores», disse o dirigente do CESP, Manuel Feliciano, afirmando que o sindicato pediu à Associação Portuguesa de Empresas de Distribuição (APED) que intervenha no sentido de fazer recuar as empresas que já manifestaram esta intenção.